A Perfeição da Imperfeição

Hoje em dia, os padrões que as agências requerem para agenciar modelos são bem diferentes do que era antigamente. Depois dos movimentos anti-magreza extrema das modelos femininas, do interesse do mercado por mulheres com “curvas” e pelo interesse de algo diferente e mais próximo da imagem comum do consumidor, levou a que as agencias e as marcas se adaptassem na comunicação que produzem mundialmente e localmente.

 

 

No desfile da coleção Yeezy fruto da parceria entre Kenye West e a Adidas, saltou a atenção um modelo em especial.

 

 

 

 

 

Uma foto publicada por Souffrant Ralph (@souffrantnyc) a

 

 

 

 

 

Ralph Souffrant, de 21 anos (diga-se de passagem que assinou o primeiro contrato com uma agencia de modelos e no mesmo dia fez o seu primeiro trabalho agenciado no desfile da Yeezy Season 3), originário do Hiti e actualmente a morar em Brooklyn NY, sentiu na pele o que é viver numa sociedade com a diferença de ter uma pele pigmentada e diferente da maioria das pessoas. Esta diferença e as constantes “brincadeiras” dos amigos e pessoas no geral, levou a que abraçasse o fitness como forma de aumentar a sua auto-estima (nota-se os resultados deste jovem de 21 anos). Como sempre nestes casos, alguém notou a sua beleza diferente. Neste caso um fotografo, que manteve contacto com o modelo e posteriormente ajudou-o a criar a página de Instagram. O que no início era um problema, uma vergonha e motivo de chacota, hoje em dia é orgulho e está a ajuda-lo a dar melhores condições de vida à sua família.

 

 

The best advice life has given me is, if you don’t work, you don’t eat. So everyday, I work hard because, I’m trying to feed more than just myself, I’m trying to feed my family.

 

 

Ralph Souffrant for Vogue Hommes France

 

Ralph não é o primeiro modelo a por de lado, mais uma vez, os padrões de beleza do mercado da moda, nem será o último.

 

 

Recordem Madeline Stuart, uma jovem modelo com síndrome de Down.